Dolce Far Niente
Na esquina da Divinópolis com a Paraisópolis, estou sentada no meio-fio. Traga um café, um violão e venha compartilhar sua solidão enquanto nadamos em canções, e nos afogamos em nostalgia. "Venha até a esquina, você não conhece o futuro que tenho nas mãos".
Mas não existe recomeço sem um fim. E no final das contas, ninguém dá adeus, do amanhã não se sabe. Vai que um dia, numa determinada situação, em algum bar de esquina, nos encontraremos novamente? Nenhum amor é eterno.”
Gabito Nunes.